• 11 de Março de 2015

Valorlis agradece o esforço da população

Recolha seletiva evita abate de mais de 61 mil árvores

O esforço de recolha seletiva dos municípios da área de influência da Valorlis, resultou na poupança de 61 mil árvores, poupou energia suficiente para manter ligada uma televisão durante 758 anos, metal que permite fabricar cerca de 9 milhões de latas de 0,33 litros, plástico suficiente para produzir mais de 6 milhões de t-shirts XL e a quantidade de vidro que permite produzir cerca de 10 milhões de garrafas de 0,75 litros.

Em 2014 foram enviadas para reciclagem 9562 toneladas de resíduos de papel/cartão, alumínio, aço, plástico e vidro. Parcelarmente, foram enviadas para reciclagem 3775 ton de vidro, 4082 ton de papel/cartão e de 1705 ton de embalagens de plástico e metal.

Comparativamente a 2013 verificou-se aumento global de 0.7% na quantidade de material enviado para reciclagem.

O envolvimento da população dos seis concelhos da área de intervenção da Valorlis, foi essencial para alcançar estes resultados. 

Miguel Aranda da Silva, administrador-delegado da Valorlis, salienta “Fruto de uma conjuntura de maior poupança e menor desperdício tivemos este ano, pela primeira vez desde 2011, um aumento de 0.7 % de material enviado para reciclagem. A Valorlis reconhece o esforço de toda a população e agradece todo o seu contributo, que é imprescindível para a recolha seletiva, procurando retribuir com um serviço cada vez melhor e que vá ao encontro das suas necessidades e expectativas”.

Cada cidadão da região, ao separar e depositar os resíduos no ecoponto, contribuiu para que no final de 2014 tenha sido possível enviar para reciclagem materiais que permitem produzir ou poupar recursos muito significativos “a deposição seletiva é já uma prioridade para muitos munícipes, mas temos consciência de que o nosso esforço de sensibilização deverá manter-se, com uma linguagem simples e direta, de forma a mostrar a todas as pessoas que é possível fazer a diferença” explica Miguel Aranda da Silva.

Apesar das dificuldades, em conjunto será possível manter em 2015 a nossa região como uma referência nas metas da reciclagem e alcançar os exigentes objetivos que nos colocam em termos de material enviado para reciclagem até 2020, acrescenta.