Central de Valorização Orgânica (CVO)

A Central de Valorização Orgânica (CVO) recebe os resíduos depositados no contentor do lixo normal, provenientes dos concelhos servidos pela Valorlis e Valorsul.

Esta unidade tem capacidade para tratamento de 50.000 ton/ano de resíduos sólidos urbanos.

A CVO transforma, através de um processo mecânico e biológico, a matéria orgânica resultante dos resíduos sólidos urbanos num produto final denominado Valorterra – corretivo orgânico para solos.

O tratamento mecânico consiste em separar a fração orgânica de outro tipo de resíduos (plásticos, metais, etc.), passíveis de serem valorizados. No tratamento biológico os restantes resíduos são submetidos a um processo de decomposição controlado, efetuado com a ação de microrganismos, dando origem ao corretivo orgânico com aproveitamento energético do biogás, resultante do processo.

A CVO da Valorlis representa uma grande inovação tecnológica, sendo a segunda central de digestão anaeróbia de resíduos existente no país e a primeira a utilizar este tipo de tecnologia.

A CVO permite diminuir a quantidade de matéria orgânica depositada em aterro e promover a sua valorização através do aproveitamento energético do biogás, resultante da digestão anaeróbia, injetando na Rede Eléctrica Nacional a energia produzida. A CVO produz ainda um composto orgânico que pode ser usado como corretivo de solos na agricultura (pomares e vinha) ou floresta.


 

Valorterra-ficha-produto-classeIIA